As 21 Taras Budistas

O que são as Taras? 

Tara é uma palavra em sânscrito cuja tradução assemelha-se a palavra “estrela salvadora”.

É uma deidade feminina do budismo Vajrayana que simboliza a sabedoria e a astúcia que percebe a diferença entre qualidade e encantamento. 

Ela faz distinções rápidas sobre o ilusório e o verdadeiro. Como um Raio, a Tara distingue e entra em ação para interromper as ações maléficas direcionadas pelos seres nefastos que aprisionam os seres sencientes na ilusão da 3ª. dimensão.

Tara é a mãe da compaixão e simboliza a emanação feminina do Buda. É aquela que age diretamente no despertar da iluminação.

Existe uma Tara Verde que é reconhecida como a mãe das outras vinte  Taras.

Cada uma possue a maestria sobre uma qualidade e atua em um foco de ação para que esta energia possa ser disponibilizada ajudando no processo evolutivo e o despertar dos humanos. Dissolve todos os campos de encantamento e adormecimento.

Elas possuem a capacidade de subjugar todas as formas que provocam obstáculos e através da ação destas Taras o nível de iluminação é atingido rapidamente.

De acordo com as várias linhagens do budismo tibetano, a lista de nomes de Tara pode apresentar variações. Dos 108 nomes destas 21 formas e da variedade de cores, as mais populares são as seguintes:

. A Tara Verde considerada a mãe de todas.

. A Tara Branca (com formas diferentes). Esta muitas vezes é associada a Kuan Yin.

. A Tara Vermelha que desperta o estado iluminado com rapidez.

. A Tara Dourada emanam confiança, esperança e realizam desejos.

. A Tara Negra ou Azul representa a atividade iluminada da ira com procedimentos e métodos vigorosos usando a força da ira direcionada para obter o despertar.

História das 21 Taras passadas pela espiritualidade

O processo evolutivo deste ano cósmico se iniciou pós dilúvio. 

Neste ciclo cósmico pós Atlântida, algumas arcas que se mantiveram flutuando durante o grande dilúvio eram formadas por grandes sacerdotes e sábios que carregavam em seu DNA a mais pura linhagem sagrada.

Todos haviam escolhidos vivenciarem e passarem por baixas vibrações até a era de Kali Yoga, para após recordarem quem são.

Forças antagônicas seriam os grandes desafios trazidos pelos seres nefastos. Este seria o jogo a ser trilhado por aqueles avatares gerando esquecimento, ignorância, medo e sofrimentos.

Foi em um grande momento de obscuridades que surgiram as Taras, a criação destes seres tinha por foco liberar todos os seres sencientes que estavam aprisionando nestes campos criados pelos “seres nefastos”. 

A qualidade de cada Tara tinha propósito específico. Todas entraram em ação para auxiliarem os seres sencientes por um propósito maior.

Quando tudo foi estabilizado, estas 21 Taras foram amparadas pelo “povo da água” e permaneceram aguardando outra oportunidade de ação.

Neste momento planetário quando o planeta sai da era de Kali Yoga e começa a retornar para o ápice onde gerou a ação dos seres nefastos faz-se necessário a presença destas 21 Mães Divinas para auxiliar neste processo de despertar coletivo.

Iniciação das Taras

A vivência será com as cores das Taras, na forma escolhida e disponibilizada no Youtube. Teremos uma pequena vivência individual sobre cada tara e o processo iniciático pelas cores. 

Esta é uma importante ferramenta para ser relembrada pelo nosso DNA para que possamos cruzar esta obscuridade e retornar a memória de quem somos.

Confira nossa agenda ↓

julho 2024
Nenhum evento encontrado!